Ex-ministro de Dilma Rousseff, Joaquim Levy aceita convite de Bolsonaro e vai presidir BNDES

Joaquim Levy foi ministro da Fazenda do segundo governo de Dilma Rousseff - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasi
Pedro Rafael Vilela e Wellton Máximo | Agência Brasil 

 

O economista Joaquim Levy aceitou hoje (12) o convite para presidir o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A informação divulgada por assessoria de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia.

É o primeiro na equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro. Com experiência na administração pública, Levy foi ministro da Fazenda de janeiro a dezembro de 2015, no segundo mandato de Dilma Rousseff. Ele também foi Secretário do Tesouro Nacional entre os anos de 2003 a 2006, no primeiro mandato do Governo Lula. Antes, no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, foi secretário adjunto da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, no ano 2000.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que pretende “abrir a caixa-preta” do BNDES em referência a empréstimos suspeitos negociados em gestões anteriores. Segundo ele, a sociedade tem direito de saber como é utilizado o dinheiro público.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.