Edital para seleção de eventos de capoeira do Governo da Bahia

Inscrição de 25 a 27 de junho

Foto: Catraca Livre
Imagem: Google

Com data de inscrição de 25 a 27 de junho, segue aberto o edital lançado pela Superintendência dos Desportos da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), para seleção de projetos de eventos de capoeira na Bahia. A chamada pública, disponível no site da  Sudesb, é direcionada a organizações da sociedade civil e visa o reconhecimento, fortalecimento, preservação da memória e difusão da capoeira no estado baiano.

O valor total do edital é de R$500 mil, devendo cada projeto estar limitado a R$ 30 mil, quando for proposta a execução por apenas uma entidade, e de R$60 mil, quando o projeto prever a execução de duas ou mais organizações. As propostas devem ser protocoladas na sede da Sudesb nos dias previstos de inscrição, tendo como horários de recebimento 8h30 às 12h e das 13h30 às 16h30. A Sudesb está localizada na Rua Paulo Moreira de Souza, Ipitanga (prédio anexo ao Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas).

 

História

capoeira ou capoeiragem  é uma expressão cultural  brasileira que mistura  arte marcial, esporte, cultural popular e música. Desenvolvida no Brasil  por descendentes de escravos africanos , é caracterizada por golpes e movimentos ágeis e complexos, utilizando primariamente chutes e rasteiras, além de cabeçadas, joelhadas, cotoveladas, acrobacias  em solo ou aéreas.

Uma característica que distingue a capoeira da maioria das outras artes marciais é a sua musicalidade. Praticantes desta arte brasileira  aprendem não apenas a lutar e a jogar, mas também a tocar os instrumentos típicos e a cantar. Um capoeirista que ignora a musicalidade é considerado incompleto.Considera-se que a capoeira tenha surgido em fins do século XVI no Quilombo dos Palmares, situado na então Capitania de Pernambuco 

A Roda de Capoeira foi registrada como bem cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN no ano de 2008, com base em inventário realizado nos estados da Bahia, de Pernambuco e do Rio de Janeiro , considerados berços desta expressão cultural. E em novembro de  2014, recebeu o título de Patrimonio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.dos a adotar a língua portuguesa e a religião católica. Como expressão da revolta contra o tratamento violento a que eram submetidos, os escravos passaram a praticar a luta tradicional do sul de Angola nos terrenos de mata mais rala conhecidos como “capoeiras” (termo que vem do tupi kapu’era, que significa “mata que foi”, se referindo aos trechos de mata que eram queimados ou cortados para abrir terreno para plantações dos índios)

A partir do século XVI, Portugal começou a enviar escravos para o Brasil, provenientes primariamente da África Ocidental. Os povos mais frequentemente vendidos no Brasil faziam parte dos povos iorubá e Daomé , guineo-sudanês, dos povos Malese e Hauças  e do grupo banto (incluindo os congos, os quimbundos e os Kasanjes  ), provenientes dos territórios localizados atualmente em Angola e Congo

A capoeira ainda é motivo de controvérsia entre os estudiosos de sua história, sobretudo no que se refere ao período compreendido entre o seu surgimento e o início do século XIX, quando aparecem os primeiros registros confiáveis com descrições sobre sua prática.  No século XVI, Portugal tinha um dos maiores impérios coloniais da Europa, mas carecia de mão de obra para efetivamente colonizá-lo. Para suprir este déficit, os colonos portugueses, no Brasil, tentaram, no início, capturar e escravizar os povos indígenas , algo que logo se demonstrou impraticável. A solução foi o tráfico de escravos africanos

Foto: Pinterest

A principal atividade econômica colonial do período era o cultivo da cana-de-açúcar. Os colonos portugueses estabeleciam grandes fazendas, cuja mão de obra era primariamente escrava. O escravo, vivendo em condições humilhantes e desumanas, era forçado a trabalhar à exaustão, frequentemente sofrendo castigos e punições físicas.Mesmo sendo em maior número, a falta de armas, a lei vigente, a discordância entre escravos de etnias rivais e o completo desconhecimento da terra em que se encontravam desencorajavam os escravos a rebelar-se. Neste meio, começou a nascer a capoeira. Mais do que uma técnica de combate, surgiu como uma esperança de liberdade e de sobrevivência, uma ferramenta para que o negro foragido, totalmente desequipado, pudesse sobreviver ao ambiente hostil e enfrentar a caça dos capitães do mato, sempre armados e montados a cavalo.

 

 

Fonte: Ascom/Sudesb e Wikipédia

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.