Consumo de medicamentos não prescrito preocupa pesquisadores

Consumo de medicamentos também preocupa pesquisadores (Arquivo/Marcello Casal jr/Agência Brasil)

O 3° Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira lançado recentemente Ministério da Justiça e Segurança Pública e em parceria com várias outras instituições, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e a Universidade de Princeton, nos EUA, mostra que o uso de analgésicos opiáceos ( que contém ópio) e os tranquilizantes benzodiazepínicos, foram consumidos de forma não prescrita, ou de modo diferente àquele recomendado pela prescrição médica, por 0,6% e 0,4% da população brasileira, respectivamente.

“É um número que revela um padrão muito preocupante, e que faz lembrar o problema norte-americano de uma década atrás, em termos de classe de substâncias”,

alertou Bastos

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.