Justiça determina volta às aulas na Bahia

Secretaria de Educação do Estado diz que ainda não foi notificada sobre liminar.

Imagem de giovannacco por Pixabay

A juíza Juliana de Castro Madeira Campos da 6ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, determinou, na noite desta sexta (5), o retorno às aulas presenciais na Bahia até o dia 1º de março. A liminar é em resposta a uma ação popular feita pelo vereador de Salvador Alexandre Aleluia.

Na liminar a juíza decide pela suspensão do Art. 9°, II do Decreto Estadual nº. 19.586/2020, alterado pelo o Decreto 20.198 de 29 de janeiro de 2021 que trata da suspensão das aulas. Também determina que o Estado “apresente em cinco dias corridos, a contar da intimação eletrônica, os protocolos de prevenção ao contágio da Covid-19, que deverão ser seguidos por todas as escolas do Estado”.

Ela também determina que “após a apresentação dos protocolos, deverão as escolas públicas e privadas retornar às atividades de forma presencial (com revezamento de alunos em sala) e/ou híbrida (parte dos alunos em sala de aula e outra parte em tempo real na internet), dando continuidade ao ano letivo.

A magistrada determina ainda que o “Estado da Bahia deverá adequar as escolas públicas aos protocolos estabelecidos para início das aulas no prazo máximo e improrrogável de 01 de março de 2021”.

Por fim, a juíza intima as partes envolvidas com urgência. Ela ainda pede que “cite-se o réu para que em 20 dias conteste a ação” e “intime-se também o Ministério Público”.

Em nota, Governo da Bahia informou, através da Secretaria Estadual de Educação, que não foi notificada da decisão judicial de volta às aulas presenciais a partir de 1 de março.

0 0 voto
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários