Corte Especial do STJ mantém prisão preventiva de envolvidos na Operação Faroeste

O presidente do STJ, ministro Humberto Martins, não proferiu seu voto.

Reprodução: Bahia Notícias

Bahia Notícias | Salvador – Bahia

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve, na tarde de ontem (17), a prisão preventiva de seis envolvidos na Operação Faroeste, que investiga um esquema de venda de sentenças no âmbito do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

Com a decisão, seguem presos a juíza Maria do Socorro Barreto Santiago, o juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, o advogado Márcio Duarte, o assessor de gabinete Antônio Roque, o falso cônsul Adailton Maturino e a advogada Geciane Maturino.

Votaram a favor da manutenção da prisão os ministros Og Fernandes, relator do caso; Felix Fischer; Francisco Falcão; Luís Felipe Salomão; Mauro Campbell Marques; Benedito Gonçalves; Nancy Adrighi; Laurita Vaz; Maria Thereza Moura e Herman Benjamin.

O ministro João Otávio de Noronha abriu a divergência, pedindo a revogação das prisões preventivas dos magistrados Maria do Socorro Santiago e Sérgio Humberto Sampaio. Ele foi acompanhado pelos colegas Raúl Araújo e Jorge Mussi.

Houve ainda o voto do ministro Napoleão Maia Filho, que opinou pela aplicação de medidas cautelares diversas da prisão.

0 0 votos
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários