Mais de 520 mil famílias já solicitaram o desligamento voluntário do programa Bolsa Família

“O valor que eu recebia ajudará outras pessoas”, diz ex-beneficiária do Bolsa Família

Andradas (MG) – A agricultora Maria Cecília Moreira, de 55 anos, observa a pequena propriedade rural, no interior do município de Andradas, em Minas Gerais. Há mais de três décadas, em meio à natureza, uma casa simples de dois cômodos abriga Maria e seu único filho, Ricardo, 38 anos. A sétima filha de 18 irmãos foi criada na roça e todo o sustento da família veio da terra.

O ingresso no Bolsa Família permitiu que o benefício de R$ 150 ajudasse na alimentação. “Comprava gás de cozinha e o que sobrava ia para carne”, conta. No entanto, a agricultora sempre teve a certeza de que, ao se aposentar, comunicaria ao setor responsável pelo programa que não precisaria mais do benefício.

E, assim, a dona Maria Cecília o fez. A agricultora diz que, agora, o valor que recebia servirá para amparar outras pessoas. “Sinto-me muito feliz e aliviada. Receber a aposentadoria e o Bolsa Família, ao mesmo tempo, não seria certo para mim. Eu estaria pegando dinheiro de outra pessoa que precisa”, avalia.

Desligamento voluntário – Assim como a dona Maria Cecília, outras 520.148 mil pessoas já solicitaram o desligamento voluntário em todo o país. As famílias que desejarem sair do Bolsa Família por terem conquistado autonomia e independência financeira devem procurar o setor responsável pelo programa em sua cidade e fazer a solicitação.

Caso o beneficiário volte a uma situação de vulnerabilidade, tem retorno garantido ao programa. “Famílias que pedem o desligamento voluntário têm o direito de voltar ao programa em 36 meses, sem a necessidade de passar por um novo processo de seleção. Basta se dirigir ao setor responsável e solicitar o retorno. Após atualizar as informações cadastrais, o beneficiário volta a receber o pagamento no mês seguinte”, explica a diretora do Departamento de Benefícios do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Caroline Paranayba.

Saiba mais

O programa é voltado para famílias com renda mensal por pessoa de até R$ 89, além daquelas com renda familiar mensal de até R$ 178 por pessoa e que tenham crianças, adolescentes ou gestantes entre os membros. Atualmente, 14,1 milhões de famílias estão no Bolsa Família. Ao ingressarem, as famílias devem cumprir condicionalidades nas áreas de Saúde e Educação. O valor repassado varia conforme o número de membros da família, idade e renda declarada no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Veja também:

0 0 voto
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

5 Comentários
Mais antigas
O mais novo Mais Votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Marcelo Martins

520 mil ou milhões? E desde quando? Existe uma concentração de desligamentos nas últimas semanas?

VERA LUCIA CAMILO SANTOS ROSENBURG

Aqui na cidade de Machado Mg tem neguinho recebendo sem ter necessidade. Desfila de HILLUX pela cidade.
Pode fazer um pente fino que quem precisa mesmo não está recebendo.

Fábio

Eu ainda diria 50% ou mais são golpistas.

VERA LUCIA CAMILO SANTOS ROSENBURG

AQUI NA CIDADE DE MACHADO TEM MUITA GENTE QUE ESTÁ RECEBENDO, MAS ANDA DE HILLUX PELA CIDADE.