Quinze agrotóxicos detectados na água que abastece Formosa do Rio Preto

Imagem: Darlan Lustosa | Portal do Cerrado

Um estudo publicado hoje pela Agência Pública mostra que foram detectados cerca de 15 agrotóxicos na água consumida em Formosa do Rio Preto, no extremo oeste da Bahia.

Oito deles são associados a doenças crônicas como câncer, defeitos congênitos e distúrbios endócrinos.

Você pode consultar os dados da sua cidade neste link disponibilizado pela Agência Pública no projeto “Por Trás dos Alimentos”

O Alacror : Detectado em 3 testes.
O herbicida está na lista da Pesticide Action Network (PAN) avaliado como Altamente Perigoso. O alacloro é classificado pela União Europeia como uma substância com evidências de causar distúrbios endócrinos, que afeta o sistema hormonal. Os sintomas da exposição ao agrotóxico são náusea, vômito e enjôo. Nos casos mais graves ocorrem colapso e coma.

Atrazina: Quatro detecções em 4 testes.
O herbicida está na lista da Pesticide Action Network (PAN) avaliado como Altamente Perigoso. A atrazina é classificada pela União Europeia como uma substância com evidências de causar distúrbios endócrinos, que afeta o sistema hormonal.

Clornado: Três detecções em 3 testes
O agrotóxico está na lista da Pesticide Action Network (PAN) avaliado como Altamente Perigoso. Já para a União Europeia, o pesticida é classificado como uma substância com evidências de causar distúrbios endócrinos, que afeta o sistema hormonal.

DDD+DDT+DDE Três detecções em 3 testes.
O agrotóxico está na lista da Pesticide Action Network (PAN) avaliado como Altamente Perigoso.  O inseticida foi também classificado pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC) como provavelmente carcinogênico para humanos. Estudo encontraram associações positivas entre a exposição ao DDT ao câncer testicular e câncer de fígado. Houve também fortes evidências experimentais de que o DDT pode afetar os sistemas imunológico e sexuais

Glicosato: Três detecções em 3 testes
O herbicida, que é o agrotóxico mais vendido no Brasil, está na lista da Pesticide Actions Network avaliado como Altamente Perigoso. Ele é classificado como provável cancerígeno pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC), entidade vinculada à Organização Mundial de Saúde.

Lindano: Três detecções em 3 testes.
O Lindano está na lista da Pesticide Action Network (PAN) avaliado como Altamente Perigoso. Já para a União Europeia, o pesticida é classificado como uma substância com evidências de causar distúrbios endócrinos, que afeta o sistema hormonal

Trifuralina: Três detecções em 3 testes.
O herbicida está na lista da Pesticide Action Network (PAN)  avaliado como Altamente Tóxico. Já para a União Europeia, o pesticida é classificado como uma substância com evidências de causar distúrbios endócrinos, que afeta o sistema hormonal.

Diuron: Uma detecção em um teste realizado
O agrotóxico está na lista da Pesticide Action Network (PAN) classificado como Altamente Perigoso. A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) avalia o Diuron como “reconhecidamente cancerígeno”.

Três deles são encontrados acimas dos níveis considerados seguro no Brasil. Considerando o níveis aceitáveis para União Europeia, este número sobe para 15

Sobre Darlan Alves Lustosa 3452 Artigos
Texto sobre o administrador do site.

1 Comentário

  1. Agora ouvimos, lemos e por isto temos a constatação concreta de que químicos agrícolas já contaminam nossos rios e por isto afeta quimicamente todos os ecossistemas dos cerrados baianos.
    Não dá mais para silenciar esta discussão!
    Assim como não dá para continuar com o uso destes produtos! O Oeste tem que adotar essa pauta para debate, reações e transformações

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.