Ex-ministro será indicado para Prêmio Nobel da Paz por trabalho agrícola no Cerrado

Alysson Paolinelli abriu caminho para independência alimentar brasileira ao investir em ciência e tecnologia para plantações no bioma.

Reprodução: Canal Rural

Bahia.ba |O ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli, será indicado ao Prêmio Nobel da Paz de 2021 por iniciativa de vinte entidades brasileiras, apoiadas por uma centena de organizações, universidades e profissionais de pelo menos 20 países. Dedicado à agricultura tropical e à segurança alimentar gerada por ela, o pesquisador de 84 anos teve importante participação na política agrícola do país ao abrir caminho para uma independência alimentar brasileira que culminou no país se tornando um dos principais exportadores de alimentos em todo o mundo.

De acordo com informações da Folha de S.Paulo, o desempenho é resultado de programas específicos para aproveitamento dos cerrados, com base em ciência, tecnologia e inovação. Paolinelli criou 26 representações da Embrapa em diversas regiões do país. A iniciativa culminou no Brasil sendo líder em exportações de soja, açúcar, suco de laranja, carne bovina, carne de frango e até milho.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o cerrado é região responsável por 46% da produção de soja no país, 49% da produção de milho, 93% de algodão e 25% de café. Também é no cerrado que se concentram 32% do rebanho brasileiro de bovino e 22% das produções de frango e suínos.

Esse mesmo trabalho com a agricultura tropical brasileira na oferta de alimentos no mundo já rendeu ao ex-ministro o “The World Food Prize”, em 2006; A premiação foi criada por Norman Bourlang, vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1970. Na época, Bourlang apostou no cerrado como palco da segunda “Revolução Verde” da humanidade, com o desenvolvimento de técnicas que tornaram uma área improdutiva na maior reserva de alimentos do mundo.

0 0 voto
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários