Antecipado o horário do desfile do 2 de Julho em Salvador

Foto: Secom | Governo da Bahia
Caboclo: Símbolo da resistência na guerra da Independência. Ao fundo Pavilhão 2 de Julho, no Largo da Lapinha

O cortejo cívico em comemoração aos 195 anos de Independência da Bahia, comemorados no dia 02 de julho, será antecipado por conta do jogo do Brasil na Copa do Mundo, marcado para as 11h00. Após a solenidade em frente ao panteão, segue em caminhada pelas ruas do Centro Histórico de Salvador.

A chegada de autoridades no Largo da Lapinha está marcada para as 07h30.

Evento que marca a data de expulsão das tropas portuguesas da Bahia, em 1823, o desfile do Dois de Julho é marcado pela presença de dois carros alegóricos, que carregam as figuras do Caboclo e da Cabocla, representativas da resistência do povo nativo na guerra que culminou com a vitória sobre os estrangeiros

A festa é considerada um termômetro da popularidade dos políticos, especialmente num ano eleitoral como 2018, o desfile cívico-popular do Dois de Julho contará com a participação de todos os candidatos ao governo baiano, devidamente respaldados por grupos de seguidores. Os presidenciais Manuela D´Avila do PCdoB, Boulos do Psol e Ciro Gomes do PDT também confirmaram que estarão na Bahia.

Em outra cerimônia marcada para as 15h, no 2º Distrito Naval, no bairro do Comércio segue para o bairro do Campo Grande por volta das 16h, quando ocorre a execução dos hinos nacional e da Bahia e o acendimento da pira com a tocha, que percorreu diversas cidades do Recôncavo Baiano.

Independência da Bahia

A Independência da Bahia foi um movimento que, iniciado em 19 de fevereiro de 1822  e com desfecho em  2 de julho de 1823 , motivado pelo sentimento federalista  emancipador de seu povo, terminou pela inserção da então província na unidade nacional brasileira, durante a Guerra da Independência do Brasil .

Aderira a cidade de São Salvador da Bahia  à  Revolução Liberal do Porto de 1820  e, com a convocação das Cortes Gerais em Lisboa, em janeiro do ano seguinte, envia deputados como Miguel du Pin e Almeida  na defesa dos interesses locais. Divide-se a cidade em vários partidos, o liberal unindo mesmo portugueses e brasileiros, interessados em manter a condição conquistada com a vinda da Corte para o país e de Reino Unido, e os lusitanos interessados na volta ao estado de antes.

Dividem-se os interesses, acirram-se os ânimos: de um lado, portugueses interessados em manter a província como colônia, dos outros brasileiros, liberais, conservadores, monarquistas e até republicanos se unem, finalmente, no interesse comum de uma luta que já se fazia ao longo de quase um ano, e que somente se faz unificada com a própria Independência do Brasil a partir de 14 de junho de 1822, quando é feita na Câmara da vila de Santo Amaro da Purificação  a proclamação que pregava a unidade nacional, e reconhecia a autoridade de D. Pedro I.

Na Bahia a luta pela Independência veio antes da brasileira, e só concretizou-se quase um ano depois do 7 de setembro de  1822:

Ao contrário da pacífica proclamação às margens do riacho Ipiranga, só ao custo de milhares de vidas e acirradas batalhas por terra e mar emancipou-se de Portugal, de tal modo que o Hino da Bahia  afirma ter o sol que nasceu ao 2 de julho brilhado mais que o primeiro.

Fonte: Wikipedia | Ascom – Governo da Bahia

Sobre Darlan Alves Lustosa 7876 Artigos
Darlan Alves Lustosa é um formosense que gosta da escrita e acredita que a política é um meio de transformação da vida das pessoas.Vive e mora em Formosa do Rio Preto, no extremo Oeste da Bahia com registro profissional 6978/BA
0 0 votos
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários