Cinco crianças morrem soterradas em Formosa do Rio Preto

Vítimas do sexo masculino, sendo três sul-coreanos e dois nascidos no Brasil, com idades entre 5 a 11 anos.

Vista aérea da Fazenda Doalnara próximo a comunidade de São Marcelo em Formosa do Rio Preto (BA) - Foto: Divulgação

Cinco crianças morreram soterradas durante um desmoronamento de terra em uma fazenda da comunidade conhecida “Coreanos” em Formosa do Rio Preto, no extremo Oeste da Bahia, no início da tarde desta sexta-feira (29). A Fazenda Doalnara Oásis, fica localizada próximo a localidade de São Marcelo, mais ou menos 40 km da sede do município.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu foi acionado e enviou pelo menos duas ambulâncias, no entanto já as encontraram sem vida. Um médico da fazenda já havia constatado as mortes quando as ambulâncias chegaram para o resgate.

No acidente morreram duas crianças de 11 anos, uma de 7 anos, uma de seis anos, e uma quinta criança com 5 anos. Duas das crianças são nascidas no Brasil e outras três na República da Coreia. Informações dão conta que elas haviam saído para brincar por volta das 9h da manhã, como demoraram para retornar, os pais delas saíram em busca, quando foram encontradas por volta do meio-dia em um buraco aberto para fins sanitários.

No entanto há informação de terceiros de que as crianças brincavam em um buraco aberto pela erosão de chuvas mas essa informação não foi confirmada pelas autoridades. Ainda não está claro como aconteceu o desmoronamento.

A Polícia Militar através da 86ª CIPM- Companhia Independente de Polícia Militar, também foi acionada e ao chegar no local, constatando o fato, comunicou a Polícia Civil que em seguida comunicou o Departamento de Polícia Técnica em Barreiras para a remoção dos corpos para o Instituto Médico Legal na mesma cidade, que está quase 200 km de distância do local do acidente.

Por volta das 18h carros do IML foram vistos no Centro da cidade de Formosa do Rio Preto.

Fazenda – A Fazenda Doalnara Oásis está estabelecida em Formosa do Rio Preto desde o ano de 2009 e produz produtos orgânicos para exportação. No local vivem pessoas de várias nacionalidades como americanos, dinamarqueses, chineses e claro coreanos e produzem arroz, soja e frutas orgânicas. Na comunidade que está as margens do Rio Preto, existe mais de 300 casas, com templo religioso, escola e área de lazer.

Um vídeo institucional diz que a comunidade está estabelecida desde 1994 com mais de 20 filiais na Coreia do Sul, fazendas nos Estados Unidos, Japão, Ásia Central e Filipinas, além de fazendas no município de Laranjal Paulista (SP), Barreiras, e Formosa do Rio Preto.

5 1 voto
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários