Lula chega a Roraima para acompanhar crise humanitária do povo Yanomami

Ministério da Saúde decretou emergência de saúde pública para combater desassistência de indígenas

Crianças Yanomami com desnutrição severa são atendidos por equipes do Ministério da Saúde (Condisi-YY/Divulgação)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, chegaram na manhã deste sábado (21), para acompanhar de perto a crise humanitária que assolou o território Yanomami. Os índios sofrem com casos de insegurança alimentar, desnutrição infantil e falta de acesso da população à saúde.

Na capital de Roraima, o presidente deve visitar o hospital indígena e a Casa de Apoio à Saúde Indígena. Segundo a Agência Brasil, 570 crianças morreram nos últimos anos por desnutrição e causas evitáveis. “O Ministério dos Povos Indígenas tomará medidas urgentes em torno desta crise humanitária imposta contra nossos povos”, disse a chefe da pasta em uma postagem no seu twitter, também feita nesta sexta-feira, disse a ministra Sônia Guajajara.

O presidente está acompanhado dos ministros:

  • Wellington Dias (Desenvolvimento Social)
  • Nísia Trindade (Saúde)
  • Sônia Guajajara (Povos Indígenas)
  • Flávio Dino (Justiça)
  • José Múcio (Defesa)
  • Silvio Almeida (Direitos Humanos)
  • Márcio Macêdo (Secretaria-Geral)
  • General Gonçalves Dias (Gabinete de Segurança Institucional)
  • e o comandante da Aeronáutica, Marcelo Kanitz Damasceno

Desde o início da semana, técnicos do Ministério da Saúde estão na terra indígena, onde habitam 30,4 mil pessoas, para fazer um diagnóstico das condições de vida da população local. A proposta é fazer um levantamento da situação, identificar as demandas dos povos originários da região e estabelecer as ações a serem feitas para que os Yanomami superem um cenário de “crise humanitária”, conforme descrito pela própria Sonia Guajajara.

Crianças yanomami sofrem com desnutrição — Foto: Júnior Hekurari via g1

“Recebemos informações sobre a absurda situação de desnutrição de crianças Yanomami em Roraima”, escreveu o presidente Lula nas suas redes sociais.

“A pedido do presidente Lula, visitaremos amanhã a Terra Indígena Yanomami para uma ação interministerial de emergência. Nossos parentes Yanomami enfrentam uma crise humanitária e sanitária. É inadmissível ver nossos parentes morrerem de desnutrição e fome”, postou Guajajara.

A tarefa está sendo comandada pelo Ministério da Saúde, e conta com o apoio da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), do Ministério da Defesa, lideranças indígenas locais, órgãos governamentais de cidades e do Estado de Roraima, a Universidade Federal de Roraima, além da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

A equipe técnica que atua no local está dividida em duas: uma atua na cidade de Boa Vista, e a outra nas regiões de Surucucu e Xitei, áreas de difícil acesso e que demandam do apoio do Ministério da Defesa para conseguir alcançar.

Um dos problemas que assolam a região são os constantes conflitos armados com garimpeiros, cujas atividades de garimpo em terras indígenas cresceram 495% entre 2010 e 2020.

Casos de desnutrição e insegurança alimentar entre a população infantil também são presentes entre as cerca de cinco mil crianças Yanomami, de acordo com o atual governo. A dificuldade de chegar aos locais por parte de profissionais, agravado pelas inseguranças dos cnflitos, torna a região ainda mais vulnerável e desassistida pelo poder público.

Crianças yanomami sofrem com desnutrição — Foto: Reprodução g1
0 0 votos
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários