Saiba mais sobre o mosquito que transmite a Febre Oropouche

Estado da Bahia já registrou 49 casos em 2024. Região vive surto da doença. Veja como se proteger

Mosquito maruim, principal vetor de transmissão da Febre Oropouche, que atingiu 49 pessoas na Bahia
Mosquito maruim transmissor da febre Oropouche — Foto/Reprodução: Fiocruz

Um mosquito é o principal vetor de transmissão da Febre Oropouche, doença similar a dengue, que somente este ano, já contaminou 49 pessoas na Bahia. Um caso da doença tem registro na capital baiana, mas a maioria dos casos está concentrado no Sul do estado. De acordo com o Correio, o caso de Salvador é de um homem que esteve em Teolândia, uma das cidades com vários registro da doença na Bahia.

A doença é transmitida pela picada do mosquito Culicoides paraenses, popularmente conhecido como maruim. O vírus foi isolado pela primeira vez no Brasil no início da década de 1960, a partir da amostra de sangue de um bicho-preguiça capturado durante a construção da rodovia Belém-Brasília. Há relatos de casos também na Bolívia, Panamá, Argentina e Equador.

LEIA MAIS: Portal do Cerrado

A cidade que mais registra casos de febre oropouche é Teolândia, com 22 ocorrências. O município é conhecido como Terra da Banana, com produção anual em torno de 36 mil toneladas, razão pela qual realiza a Festa da Banana.

Segundo o jornal Correio, ambientes quentes e úmidos facilitam a proliferação dos mosquitos. “Desde o final do ano passado, estados do Norte do Brasil já registraram surtos da doença e a tendência era que o vírus se espalhasse. O interior da Bahia tem grande incidência do mosquito, por isso, já era esperado”, explica o virologista Gubio Soares, ao diário da capital baiana.

Se um mosquito pica um infectado com a febre de oropouche, o inseto se contamina e dissemina a doença para outras pessoas. A princípio, não há relatos de transmissão de pessoa para pessoa.

Assim como acontece com o Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, evitar acúmulo de água parada e usar repelente são as formas mais eficazes para evitar a contaminação. A oropouche causa febre alta (entre 38 °C e 39,5 °C), dores no corpo e articulação e manchas na pele, daí a similaridade.

Surto

A doença está em surto no Amazonas, no Acre e em Rondônia, onde é endêmica. Há registro de casos neste ano de 2024 em municípios que não tinham históricos da doença, como o Rio de Janeiro e Cuiabá. Contudo, até aqui não há registro de mortes causadas pela doença.

Sobre Darlan Alves Lustosa 7981 Artigos
Darlan Lustosa é formosense que gosta da escrita e acredita que a política é um meio de transformação da vida das pessoas.Vive e mora em Formosa do Rio Preto, no extremo Oeste da Bahia, com registro profissional 6978/BA e sindicalizado, sobretudo para fortalecer a causa e defender direitos.
0 0 votos
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários