Ministra manda governo federal custear leitos de UTI na Bahia

Segundo o Correio da Bahia o custo para manter essa quantidade de leitos ativos chega a 22,1 milhões por mês.

Governo da Bahia abriu mais 20 leitos no Hospital da Chapada em Seabra - Foto: Secom

A Ministra Rosa Weber do Supremo Tribunal Federal determinou que o governo federal volte a custear a manutenção de 462 leitos de UTI Covid-19 na Bahia. Os repasses foram interrompidos desde janeiro e os custos recaíram sobre o governo do estado.

A Procuradoria Geral do Estado entrou com uma representação no STF no dia 18 de fevereiro e pedia o repasse que deixou de ser feito.

A decisão é liminar, o que significa que ainda pode ser revista. No entanto, o governo federal é obrigado a cumprí-la, se a decisão não for revista.

Na decisão, a ministra criticou a postura do governo federal:

“Ocorre que as vidas em jogo não podem ficar na dependência da burocracia estatal ou das idiossincrasias políticas, ainda que se reconheça que o decréscimo do financiamento de leitos possa ser circunstancial -, decorrente do próprio dinamismo e imprevisibilidade da evolução da pandemia-, ou motivado por protocolos orçamentários os quais a União é obrigada a cumprir”,

afirmou

Governos estaduais e prefeituras têm reclamado da falta de manutenção de milhares de leitos pelo país e pedem ao governo federal o retorno do financiamento em cada um dos seus estados.

“Não é constitucionalmente aceitável qualquer retrocesso de políticas de saúde, como esta da União que resultou em decréscimo no número de leitos e UTI. A Bahia se insurgiu contra isso e teve seu pedido acolhido pelo STF”, declarou o procurador do Estado responsável pela demanda, Marcos Sampaio, que comemorou a decisão.

Com Bahia Notícias e Correio da Bahia

0 0 voto
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários