Formosa do Rio Preto e Santa Rita de Cássia são as cidades mais afetadas pelo ar seco no oeste

Na Bahia, segundo o Inmet, as cidades que mais têm sido afetadas pelo ar seco são as da região Oeste, como Santa Rita de Cássia e Formosa do Rio Preto, onde a umidade relativa do ar tem variado entre 12% a 14%.

Em Santa Rita de Cássia, cidade de 29 mil habitantes, há três semanas é mantido esse nível de umidade do ar, o que gerou nas farmácias aumento de até 50% na venda de remédios para problemas respiratórios – acabou até estoque de medicamento usado no combate à bronquite e asma – e maior procura aos postos de saúde.

Outro agravante local é a variação da temperatura num único dia. Nesta terça-feira (31), por exemplo, o município de Santa Rita de Cássia registrou 9,8 ºC durante a madrugada e 35 ºC durante o dia, de acordo com informações do Inmet. O clima seco tem levado muitas pessoas a comprarem umidificadores de ar, vendidos a R$ 145.

 

“Temos vendido muitos antigripais, corticoides, antialérgicos e antibióticos. A venda desses tipos de medicamentos tem sido bem maior em relação aos outros produtos”, disse o empresário Luciano César Araújo Santos, dono de uma farmácia onde já instalou o umidificador de ar para não ter problemas. “Em casa tenho um também”.

 

De acordo com o Inmet, a baixa umidade do ar já é característico da região Oeste nessa época do ano. Mas a depender dos fenômenos climáticos, pode ser mais ou menos agravada de um ano para outro. Na região, o período de chuvas é entre os meses de outubro e abril.

Devido ao problema, a Prefeitura de Santa Rita de Cássia tem orientado os moradores a consumir muito líquido e sempre deixar um balde com água nos cômodos da casa, a dormir com toalha ou pano molhado perto, para que a respiração fique mais confortável.

Ainda segundo a prefeitura, nas últimas semanas houve aumento considerável – não há uma porcentagem estimada – na procura por atendimentos de pacientes com problemas respiratórios tanto nos postos de saúde quanto no hospital local.

A rede de atenção básica da cidade tem cadastradas quase 13 mil pessoas, com 100% de cobertura nos estabelecimentos de saúde da família. “Temos dado a atenção necessária a esses e outros casos de saúde da cidade, com o fornecimento de xaropes, antialérgicos e antibióticos”, declarou a coordenadora da Atenção Básica, Sheila Lopes.

A coordenadora informou que 100% de todas as categorias de idade estão vacinadas contra gripe e recebido assistência maior, sobretudo pessoas que têm apresentado quadros de pneumonia.

 

Veja mais em:

Calor dos ‘invernos’! Sem chuva, Salvador tem estação mais seca em sete anos

Sobre Darlan Alves Lustosa 2871 Artigos
Texto sobre o administrador do site.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.