Professores comparecem na sessão e pressionam vereadores em Formosa do Rio Preto

Próxima sessão está marcada para as 18h do dia 17 de maio.

Foto: Portal do Cerrado

Com o plenário da Câmara de Vereadores lotado, plateia na sua maioria formada por professores da rede municipal de ensino, a última, teve vaias e pressão sobre vereadores, principalmente os da base governista que seguem sob a liderança do prefeito municipal. O professores buscam uma solução para o impasse sobre o reajuste concedido pelo Governo Federal de 33,24%. A gestão passou a oferecer 14% retroativos ao mês de janeiro.

Outras categorias teriam reajuste de acordo com o Projeto de Lei específico, de 10,16%, excetos os que recebem salário mínimo que segundo a Prefeitura de Formosa do Rio Preto, já teria o salário ajustado com a alteração do salário mínimo vigente no país.

A sessão foi iniciada com a aprovação do Projeto de Lei nº 05/2022, de autoria do vereador Robertinho de Andrade, que impede a inauguração de obras públicas municipais incompletas. A sessão foi terminada as pressas, segundo o presidente, por um compromisso de saúde dele nesta quarta-feira em Barreiras.

Nas considerações finais, os vereadores Robertinho, Rosita, Meletinha, Manuela e Lúcio, reafirmaram o apoio aos professores e o vereador Robertinho afirmou que a proposta do Município é um reajuste de 14%, bem distante do que os professores esperam receber. Em sua fala, o vereador Edson, que também é professor, tentou esclarecer seu posicionamento na sessão anterior, disparou ataques contra a colega vereadora Manuela, acusando a edil de receber bolsas de estudos em seus estabelecimento de ensino, pagas na gestão anterior e acabou recebendo as vaias da plateia.

Vereador usa tribuna para acusar colega de receber bolsas de estudo. Vídeo Reprodução Câmara de Vereadores de Formosa do Rio Preto

Outro vereador também da base do prefeito Sandoval Queiroz questionou em qual conta “esse dinheiro tá”.

esse dinheiro tá“. ..”Uma coisa quero dizer bem claro a todos vocês, que cada uma tem o seu direito. Eu como sempre digo nesta casa, não estou aqui para fazer política partidária. Jamais trabalhei fazendo. Eu sinto muito se não chegar aos seus objetivos mas como falei anterior aqui, o vereador não tem poder pra muita coisa. Vereador tem poder de cobrar e fiscalizar”. Um coisa quero dizer bem claro pra vocês. O reajuste de 33% que todos diz (sic) que o presidente deu 33% . Agora eu pergunto a vocês. Não que eu tô (sic) sendo contra a vocês. Eu pergunto pra vocês. Quem de vocês sabe (sic) em que qual conta vem esses 33%.,24 que o presidente deu. Porque na verdade essa conta não bate. Porque o presidente simplesmente disse: Eu vou dar. Eu dou mas só que não disponibilizou por quê não entrou no Fundeb e não entrou em conta nenhuma.

Foi uma sessão tensa, tumultuada, ficando a expectativa para a próxima sessão na terça-feira, dia 17, para a entrada do Projeto de Lei, oriunda do Poder Executivo, que irá tratar do reajuste do piso salarial dos servidores públicos municipais.

Piso Nacional

A portaria que estabelece o novo valor do Piso Salarial Profissional Nacional para os Profissionais do Magistério Público da Educação Básica foi assinada em 4 de fevereiro de 2022, pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro. O piso da categoria para 2022 será de R$ 3.845,63.

Segundo a Agência Brasil, o reajuste de 33,24% é a maior correção salarial concedida à categoria desde o surgimento da Lei do Piso, em 2008. Na época, o Presidente Jair Bolsonaro relatou que poderia conceder o reajuste mínimo de 7% e o máximo de 33,24% e, em conversa com o ministro da Educação, que ainda era Milton Ribeiro, decidiu pelo maior percentual.

“Discutimos a questão desse reajuste para os professores da educação básica. Havia, sim, muitos pedidos de chefes de executivo estaduais e municipais querendo 7%. Conversei com o Milton [Ribeiro]. O dinheiro de quem é? Quem repassa esse dinheiro para eles? Somos nós, Governo Federal”,

disse presidente naquele dia.
0 0 votos
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário
Mais antigas
O mais novo Mais Votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Deixa quieto

Sindicato só acorda quando o prefeito é da oposição. Quando estava o “aliado”, não via, não fazia, só dormia… Kkkkkk
Professores tem direito sim, mas o sindicato só age quando se trata da oposição.