Treze morrem após terremotos em cinco países da América Latina

As mortes estão concentradas no Equador. Peru, Argentina, Chile e México não relataram mortes.

Equador, magnitude sísmica, escala Richter
Estrada Cuenca - Molleturo apresenta deslizamentos de terra em locais distintos no Equador. Foto: Governo do Equador

Pelo menos 13 pessoas morreram em uma série de terremotos na tarde deste sábado (18), que atingiram pelo menos cinco países da América Latina. As mortes estão concentradas no Equador, onde o terremoto foi de 6,7 na escala Richter. Onze dos treze mortos são da província de El Oro, e outros dois, de Azuay.

Seu epicentro foi a cerca de 30 quilômetros do município de Balao, província de Guayas, informa o Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional do Equador. Ainda que os abalos tenham sido fortes, não há ameaça de tsunami no litoral do país.

LEIA MAIS: Portal do Cerrado

No entanto, o tremor mais forte ocorreu na cidade peruana de Tumbes, no norte do país. O Centro Sismológico Nacional registrou o terremoto com 7,0 de magnitude sísmica às 12h12 do horário local.

Na cidade de Cuenca, alguns prédios desabaram, segundo vídeos divulgados nas redes sociais, e na cidade de Guayaquil há vários bairros sem eletricidade, informou o jornal ‘El Universo‘.

Equador, magnitude sísmica, escala Richter
Centro Sismológico Nacional registrou o terremoto com 7,0 de magnitude sísmica – Foto: Reprodução

Na sequência, outros abalos sísmicos foram registrados na Argentina, Chile, México e Peru. Todos os cinco países sul-americanos, integram o Círculo de Fogo do Pacífico, área de 40 mil quilômetros em forma de ferradura. A área circunda o oceano Pacífico, passando inclusive pelos EUA, Canadá, Rússia, Japão, Sudeste Asiático e Oceania.

Os outros países, no entanto, ainda não relataram mortos.

Círculo de Fogo do pacífico, Terremotos, América Latina, América do Sul
Mapa identifica a região do Círculo de Fogo do Pacífico — Foto: Reprodução G1

Reação do governo do Equador

O Presidente do Equador, Guillermo Lasso, anunciou a ativação do Governo em caráter de emergência para prestar a atenção necessária às pessoas afetadas pelo terremoto.

“Há feridos que estão sendo atendidos prontamente nos hospitais. Há casas destruídas na província de El Oro e Azuay ”, explicou Lasso.

Além disso, Lasso indicou que o Ministério de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Equador foi acionado para realizar inspeções na área afetada e “todos os mecanismos de assistência e apoio às famílias afetadas” serão aplicados.

Em 16 de abril, o Equador recordará o sétimo aniversário de um dos terremotos mais destrutivos de sua história recente, de magnitude 7,8.

Este fenômeno natural, ocorrido em 16 de abril de 2016, deixou mais de 670 mortos, milhares afetados, além de perdas materiais de milhões.

Este terremoto atingiu as províncias de Esmeraldas (na fronteira com a Colômbia) e sua vizinha Manabí , ambas localizadas na costa do país andino, mas também afetou outras áreas sendo sentido com força, inclusive na capital equatoriana, Quito.

Sobre Darlan Alves Lustosa 7981 Artigos
Darlan Lustosa é formosense que gosta da escrita e acredita que a política é um meio de transformação da vida das pessoas.Vive e mora em Formosa do Rio Preto, no extremo Oeste da Bahia, com registro profissional 6978/BA e sindicalizado, sobretudo para fortalecer a causa e defender direitos.
0 0 votos
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários