Justiça realiza diligências em áreas de conflitos de terras em Formosa do Rio Preto

Diligências na região do Gerais do Rio Preto na última quarta-feira (18) teve participação das polícias Civil e Militar.

Foto: Divulgação

Não é de hoje que os conflitos por disputas de terras no município de Formosa do Rio Preto no extremo Oeste baiano virou notícias nos principais jornais do país. O município faz parte da última fronteira agrícola, com o nome curioso de MATOPIBA, acrônimo referente às duas primeiras letras dos estados em que faz divisa: Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Por conta das demandas, os juízes da Comarca de Formosa do Rio Preto, Drº Carlos Eduardo da Silva Camilo e Drº Edson do Nascimento Campos, fizeram uma incursão pelas fazendas Canabrava, Coaceral e Estrondo, percorrendo mais de 450 km para entender as condições descritas nos processos. A visita visa entender melhor as questões apontadas nos processos. Os juízes tiveram apoio da escrivã Alaéce Moreira e o Oficial de Justiça, Bartolomeu Bispo, juntamente com o Delegado da Polícia Civil do município, Drº Arnaldo Monte e o Capitão PM Baeta, Comandante da 86ª CIPM – Companhia Independente de Polícia Militar com três viaturas.

A ação desta quarta, também tem o objetivo de evitar a violência no campo e fazer com que o Poder Judiciário se aproxime ainda mais das questões agrárias do município. Por anos em que processos tramitam no Comarca, esta é a primeira vez que autoridades diligenciam no sentido de verificar os fatos e situações no próprio local, o que demonstra uma nova atenção e cuidado do Tribunal de Justiça da Bahia com o Oeste baiano.

Mais de 450 km foram percorridos por várias fazendas em Formosa do Rio Preto – Foto: Reprodução

A viagem que durou todo o dia, iniciou nas primeira horas da manhã e também visitou as fazendas , Bunge, Sul Colonizadora, Basa Agrícola, Fazenda Canabrava Agropecuária, Agrovila Panambi, região da Garganta, Fazenda Estrondo, Riachão do Ouro e Fazenda Ouro.

Foto: Divulgação
0 0 votos
Classificação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários